Carregando...
Notícias

CPI dos “fura-fila” em Juazeiro do Norte conclui relatório e pede afastamento de secretária de Saúde

Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte sobre os “fura-filas” pede o afastamento da secretária de Saúde da cidade, Francimones Albuquerque. O relatório final das investigações, aprovado pelos vereadores, aponta que servidores da prefeitura fora dos grupos prioritários e da linha de frente receberam, antecipadamente, a vacina contra a Covid-19. 

A secretária de saúde informou que ainda não recebeu o relatório da CPI e defendeu o número de doses da vacina já aplicadas em Juazeiro.

A CPI foi instalada em fevereiro deste ano, após denúncias sobre suposta vacinação irregular de funcionários ligados à prefeitura que não faziam parte dos grupos prioritários.

 

Secretária de Saúde de Juazeiro do Norte, Francimone Gomes
Foto: Reprodução

 

As investigações na comissão parlamentar de inquérito duraram 120 dias.

 

 

Francimones Albuquerque toma posse como Secretária de Saúde de Juazeiro do Norte
Legenda: O relator da CPI alega que houve inconsistência nas informações repassadas pela secretaria de saúde liderada por Francimones Albuquerque (foto) Foto: Reprodução/ Facebook

 

INVESTIGAÇÃO

Segundo o relator da CPI, vereador Adauto Araújo (PTB), mais de dez pessoas foram ouvidas, entre servidores da Prefeitura, incluindo a secretária de saúde, e profissionais da área, como médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. 

 

Concluímos que pessoas de 18, 20 anos, que não estavam na linha de frente, pessoas de férias da secretaria (de Saúde) foram chamadas para tomar a vacina. Pessoas que tomaram a vacina antes do tempo, furando a fila, deixando as pessoas idosas enfermas, por conta dessas pessoas que podiam esperar a sua vez

VEREADOR ADAUTO ARAÚJO (PTB)
Relator da CPI

 

De acordo com o relatório, o setor de mobilização social da prefeitura não faz parte da linha de frente da Covid-19 e mesmo assim todos os funcionários foram vacinados, inclusive os que não estavam trabalhando.

O documento aponta ainda que servidores de outras áreas como recepcionistas, vigias noturnos, porteiros e auxiliares administrativos foram vacinados antes dos grupos prioritários.

Os membros da CPI citam como exemplo das supostas irregularidades a vacinação do vice-prefeito de Juazeiro, Giovanni Sampaio (PSD), em janeiro deste ano.

O caso provocou polêmica na época. O vice-prefeito é médico e defendeu que estava na linha de frente da Covid-19. No entanto, segundo parlamentares, ele atuava em outro município vizinho. 

O relator da CPI afirma que solicitou informações à secretaria de saúde sobre as denúnicas, mas houve inconsistência nas informações repassadas e outros órgãos “dificultaram” os trabalhos da comissão.

CONCLUSÃO

Para o relator, Adauto Araújo, a responsabilidade pelas irregularidades apontadas é da secretária de saúde, por isso o pedido de afastamento.

O relatório final apresentado pela CPI foi aprovado, na última terça-feira (15), no plenário da Câmara Municipal por 11 votos a favor e seis contra. 

 

A CPI não tem poder de incriminar. O relatório foi encaminhado ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal para aprofundar as investigações. 

 

O documento também foi enviado do Conselho Municipal de Saúde.

OUTRO LADO 

A secretária de saúde, Francimones Albuquerque, disse que ainda não recebeu o relatório da CPI. Ela destacou o número de doses aplicadas no município e não citou as irregularidades apontadas pela comissão.

 

Nós ainda não recebemos o relatório na secretaria, mas o município já realizou (aplicou) mais de 85 mil doses e já enviamos todas as informações desde o início do processo tanto para a Câmara de Vereadores como para os órgãos responsáveis. Continuamos trabalhando, vacinando o povo, realizando os agendamentos e aguardando o parecer dos órgãos competentes

FRANCIMONES ALBUQUERQUE
Secretária de Saúde de Juazeiro do Norte

 

TURBULÊNCIAS POLÍTICAS

Essa é a terceira CPI que o prefeito Gledson Bezerra enfrenta em apenas cinco meses à frente da gestão de Juazeiro do Norte. 

As outras CPIs instaladas na Câmara Municipal apuram contratos temporários de servidores e indicações de parentes para cargos públicos, o chamado nepotismo.

Essas comissões foram criadas em meio a falta de apoio político ao prefeito. Dos 21 vereadores, no máximo sete são da base aliada. O próprio presidente da Câmara Municipal tem uma relação instável com Gledson Bezerra. 

Essas turbulências políticas também tem dificultado que projetos enviados pela prefeitura para a Câmara Municipal sejam aprovados. 

 

Fonte: Diário do Nordeste